Batalha dos confeiteiros Brasil com Buddy Valastro

A gente fala tanto do Buddy por aqui, mas já faz um tempinho que tem notícia dele no blog. Até que vi que ia haver uma versão brasileira do Batalha dos Confeiteiros, programa onde tio Valastro escolhe dentre 14 participantes aquele vai trabalhar com ele na famosa Carlos Bakery.

Quando vi que era o próprio Buddy que ia apresentar, meio que duvidei do formato, afinal ele não fala nenhuma palavra em português que não seja “brigadeiro”. Como isso iria funcionar?

A Record, como tem feito recentemente, deu um tapa na cara de todo mundo. Como o programa é gravado, o Buddy é dublado pela mesma pessoa que o dubla nos programas da TV fechada (Discovery Home and Health e TLC), todos da equipe tem um ponto eletrônico no ouvido para que a comunicação funcione de forma fluida. O processo e o tempo de tradução entre os participantes e Buddy não fica visível para gente por conta da excelente edição.

A escolha dos participantes foi feita à dedo. É a medida certa de talento com drama – ao contrário do que acontece no Bake Off Brasil (BOB). A inserção dos patrocínios também é muito superior. Enquanto no BOB, a Oral B decidiu presentear todos com um kit com 1 pasta, 1 enxaguatório bucal e 1 escova de dente, a M&M deu ao grupo ganhador do segundo episódio do BDC uma caixa cheia de produtos, bichos de pelúcia da marca, etc.

Gente, a participante Bruna Monari já apareceu aqui no Blog na seção Cupcakes do leitor!

Sem falar que o Buddy é o que “vende” o programa. Ele é carismático e exigente ao mesmo tempo. Tem talento e é reconhecido mundialmente. Eu nunca tinha ouvido falar de Carol Fiorentino (que deve estar ali porque sua irmã também é da emissora) e “Faz Bico” Fazano antes.

batalha-dos-confeiteiros-a-serie

Dá para notar que todos os participantes tem uma ânsia louca pela aprovação do chef. Quem viu o segundo episódio, sabe do que eu estou falando. O Rick explodiu em lágrimas na hora do julgamento final, ao explicar que estava instável emocionalmente porque o Buddy passara por ele no corredor e não o cumprimentara. (Falei bonito, né?)

O programa vai ao ar todas as quartas-feiras na Record às 20:30. Também está disponível no Discovery Home and Health, com uma semana de diferença, às terças, 19:30. As pessoas das Internetz são como são e botaram os dois episódios no Youtube. Os vídeos estão aqui embaixo.

Bom, o que vocês acharam do programa? Qual é o melhor dos dois? #TimeVaiDeRetroRosangela

10 comentários em “Batalha dos confeiteiros Brasil com Buddy Valastro”

  1. Mais uma vez fiquei decepcionada… Foi com o master chef, com o bake off….. Acho tudo de um amadorismo tão grande que não dá pra acreditar.
    Aonde arranjaram esses competidores? De nome conheço 2, de resto pra mim são totalmente anônimos. Não vi nenhum chamado p/ participar do programa nem conheço alguem que tenha sabido da convocação….
    Enfim, acho que até no face vemos bolos mais bem acabados, mais bem elaborados do que no programa.
    Os participantes ficam rindo e tentando assumir os erros pra ganhar a simpatia do Buddy… É muito estranho, parece que querem se mostrar além do trabalho que fizeram como se fossem capazes de fazer melhor, como se os outros fossem os culpados pelo fracasso…
    Tipo…” sei que está ruim mas não foi culpa minha”…. Ahhh… va….
    Competidores inexperientes com outros extremamente arrogantes… Ambiente insuportável…
    Se o Buddy colocar algum desses na confeitaria…. ô dó…..rsrsrs
    Pra mim está um desastre total…

    • Ana, eu fiz uma busca básica sobre os participantes e de fato eles fazem coisas bonitas. Fiz o mesmo quanto a alguns outros shows. Eles tem trabalhos muito bons. (Com base no Instagram e sites).

      O problema é a pressão de trabalhar em equipe com seus concorrentes, em um tempo limitado e cadeia nacional. Eu seria aquela participante que pede pra sair pq não aguente hipocrisia ou alguém mandando em mim.

      Agora quanto a questão da escolha é um mistério total…

      • É verdade, alguns deles até são bons sim mas a arrogância e o ego não deixa isso aparecer…. E a maioria é desconhecida sim do público confeiteiro. Trabalho na área há 12 anos, frequento cursos, congressos e feiras e tb tenho contato com vários fornecedores e a ssim mesmo nunca ouvi falar deles… Acho estranho mas…

  2. Assisti o primeiro episódio e odiei, ta tosco, mal editado, a abertura é deprimente, como disse a Ana no comentário acima, qual foi o critério de escolha dos participantes? Conheço uns 3 e olhe lá, sou confeiteira, tenho contato com muitos profissionais da área e algumas marcas, não ouvi falar de convocação para o programa. Já no primeiro episódio não fizeram as massas, o pessoal é arrogante, falta humildade, gente que diz nunca ter feito um bolo. Tá horrível, nem lembrei de assistir o segundo e não vou nem perder tempo vendo o resto. O Bake off tem algumas falhas sim, como todos os programas nacionais, mas é mais bonito e os participantes mais simpáticos.
    Outra coisa que enche o saco é patrocínio de margarina, que confeiteiro nesse universo trabalha com margarina?
    Essas e outras me fazem não assistir e nem ter vontade de participar.

    • Sandra, acho que o único programa que foi genuíno na escolha dos participantes foi o primeiro Big Brother Brasil. De lá pra cá, sabe Deus que sistema de escolha eles usam…

      O formato é igualzinho ao original, até a abertura. Mas que o Bake-off é mais lindo e fofo, com certeza é…

      Não me começa com essa história de margarina patrocinando, amiga. Tenho um mini derrame e dois infartos cada vez que alguém me lembra disso! kkkkk

  3. Eu estou muito incomodada com os patrocinadores. Não sou confeiteira profissional, mas sei que a margarina Qualy não é uma opção para fazer doces e bolos!!

    No geral estou gostando!!!

  4. Também me decepcionei, muito rápido (cortes de edição mal feitos), não mostram quase “NADA”, acho que estão queimando o filme do nosso Cake Boss, já que se propõem a trazer um astro para o Brasil, deveriam proporcionar com estrutura e profissionais na produção/direção que sejam compatíveis.

Deixe um comentário